Não somos daqueles que retrocedem






Depois de alguns dias da eufórica virada do ano, a poeira do entusiasmo tende a baixar impelindo as pessoas ao estado de antes, contagiando-as com a pachorrenta mesmice: mesma vidinha, mesmo cansaço, mesma indecisão, mesma insegurança, mesma falta de fé, etc. Por isso precisamos manter acesos os grandiosos e nobres projetos da festiva e eufórica virada do ano. Aqueles projetos de uma nova vida com “mais tudo”: mais santidade, mais obediência, mais leitura da Bíblia, mais assiduidade à casa do Senhor, mais fidelidade acerca das contribuições, mais empenho na obra, mais investimentos na família e no ministério, etc. Para não dizer daqueles projetos nada convidativos: não à vida sedentária; sim aos exercícios físicos. Mais equilíbrio na alimentação, enfim, mais isso ... mais aquilo....

Fazer projeto é algo simples e fácil, basta apenas articular uma intenção e, pronto, já está feito. Só que, intenção sem ação gera resultados nulos. Por isso, se não tomarmos enérgicas iniciativas quanto àquilo que projetamos, tudo redundará em inutilidade, frustração e fracasso - três coisas que, efetivamente, não combinam com perspectivas de fé (Hb 11.1).

A nossa inércia entristece o coração de Deus: “... se uma pessoa voltar atrás, eu não ficarei contente com ela” (Hb 10.38b-NTLH). Portanto, mãos à obra! Quanto mais demorarmos, mais preguiçosos, omissos e desleixados seremos. O Senhor não se agrada daqueles que retrocedem.




Pr. Elias Garcia Fernandes