Natal, símbolo de amor, paz e alegria






Devemos festejar o natal? Claro que sim! Não importa se a data fixada não corresponda à realidade. Também não importa se o sistema mercantilista exploratório corrompeu a essência da comemoração. O que vale mesmo é a motivação espiritual de festejar o nascimento de Jesus. A Bíblia diz sobre o nascimento de Jesus: “... pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor” (Lc 2.11).

O interessante é que a Bíblia registra uma profecia anunciada setecentos anos antes do nascimento do Salvador: “... eis que uma virgem conceberá, e dará à luz um filho, e será o seu nome Emanuel” (Is 7.14). Este bendito nascimento na verdade diz respeito à encarnação do Salvador, que é pré-existente, que sempre existiu e participou, inclusive, da construção de tudo: “Todas as coisas foram feitas por Ele, e sem Ele nada do que foi feito se fez” (Jo 1.3).

Ao contrário do que muitos pensam, as comemorações natalinas são muito oportunas para a pregação do evangelho (2 Tm 4.2). É muito simples! No afã de relembrar e festejar o cumprimento profético acerca do nascimento de Jesus - fato que mudou a história do mundo - temos uma oportunidade ímpar de mostrar as verdades sobre o plano salvífico - um projeto arquitetado por Deus e que vem se desenvolvendo através dos séculos.

Mas é importante frisar que natal não é só oba-oba, comilanças e alegrias efêmeras. A festa do natal se reveste do que há de mais terno e belo se soubermos vivenciá-la dentro do seu verdadeiro sentido. O natal significa, sobretudo, o anúncio da luz de Jesus para quem vive nas trevas e sem esperança. O natal de Jesus significa alento para quem está sofrendo, justiça para os que estão sendo injustiçados. O natal de Jesus é símbolo de paz e alegria.

A todos, um feliz natal!


Pr. Elias Garcia Fernandes